terça-feira, 4 de outubro de 2016

Livros a ler











Sob o rótulo de “populismo“, o pensamento político tem caracterizado manifestações em que o povo estabelece conexão direta com uma liderança, desestabilizando a democracia representativa.
Mas para Ernesto Laclau a flexibilidade com que o conceito é aplicado a situações as mais contraditórias, tanto à direita, como à esquerda, revela a dificuldade de entender o populismo.
Ernesto Laclau, um dos mais respeitados filósofos políticos latino-americanos, que morreu no ano passado, revê no livro – A Razão Populista(São Paulo: Editora Três Estrelas; 2013) – a literatura histórica e filosófica sobre o populismo, sobre a psicologia das massas e os movimentos populares. Ele demonstra que o populismo não é uma ideologia nem uma conduta irracional, mas segue uma lógica específica, relacionada às identidades coletivas e às demandas sociais.

Ernesto Laclau nasceu na Argentina, em 1935. Foi professor emérito de teoria política na Universidade de Essex (Grã-Bretanha). Licenciou-se em história pela Universidade de Buenos Aires e fez seu doutorado na Inglaterra nos anos 1970. Morreu em abril de 2014 em Sevilha, na Espanha. É autor de Política e Ideologia na Teoria Marxista (Paz e Terra, 1978),Hegemony and Socialist Strategy (Verso, 1985) e Emancipação e Diferença(EdURJ, 2011).



Sem comentários:

Enviar um comentário

Carapaus alimados Ingredientes: Doses: 4 Carapaus pequenos 800 g Azeite 1 dl Vinagre 2 dl Cebola q.b. Alho q.b. ...